Setor agropecuário da Paraíba pediu suporte ao governo estadual após prejuízos causados na crise do coronavírus — Foto: Reprodução/TV Paraíba

Os efeitos do isolamento social causado pelo coronavírus começaram a ser refletidos na produção agropecuária da Paraíba. Algumas associações e sindicatos dos produtores rurais do estado já estimam que o prejuízo são incalculáveis e para evitar que as perdas continuem, essas organizações enviaram um ofício na terça-feira (31) indicando sete medidas que podem ser adotadas pelo Governo da Paraíba para ajudar o setor nesse momento de crise pela pandemia.

O G1 tentou entrar com contato com o secretário de Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca, Efraim Morais, pasta que recebeu o ofício com o pedido de ajuda do setor agropecuário, mas as ligações não foram atendidas, nem as mensagens respondidas.

De acordo com o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária da Paraíba (Fenar), Mário Borba, explicou que o impacto da crise está afetando as cadeias produtivas como as da bovinocultura e caprinocultura leiteira, avicultura e carcinicultura.

“Todas essas são atividades na quais quando chega a hora, você tem que tirar, tem que vender. A situação do leite da Paraíba está um caos, 50% da produção está prejudicada, produtores deixando de dar ração para diminuir a produtividade, pequenos laticínios fechados”, comentou.

Além da Faepa, assinam o ofício de ajuda ao governo da Paraíba, a Organização das Cooperativas Brasileiras no Estado da Paraíba (OCB-PB), a Associação Paraibana dos Criadores de Caprinos e Ovinos (Apacco) e a Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan).

Entre os pedidos estão:

Criação de um Comitê Gestor para discutir todos os problemas inerentes ao desenvolvimento da Agropecuária na Paraíba.
Conceder linha especial de crédito emergencial.
Adotar políticas emergenciais de garantia na aquisição e distribuição de insumos para as atividades agropecuárias.
Ampliar as compras públicas do governo estadual.
Conceder Isenção temporária, na comercialização de produtos agropecuários.
Prorrogar as dívidas oriundas de recursos do Programa Empreender/PB.
Negociações das dívidas no sentido de reparar as consequências causadas pela diminuição de sua produção.
As propostas visam conter o aprofundamento da crise que, segundo as cooperativas, já reduziu em pelo menos 40% a produção agropecuária na Paraíba, considerada preocupante pelo presidente da OCB-PB, André Pacelli.

Falta de insumos
O grande problema, de acordo com Wendel Lima, da Cooperativa dos Produtores Rurais, a maior parte dos pequenos e médios produtores, além das cooperativas, vendem a maior parte das produções em feiras livres e mercados públicos. O comércio nesses locais passaram a ser em horário reduzido, prejudicando a venda.

“A gente fica a mercê, se piorar a crise, pode faltar insumos. Já está começando a subir o preço desses insumos, porque eles estão sendo racionados. Um exemplo é que em Campina Grande houve uma procura de farelo de soja, não houve nenhum fornecedor, então quem tinha só estava vendendo cinco sacos por produtor. Não atende a nossa produção. Com o animal sem ser nutrido, a produção cai”, explicou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui