Novo Tracker
Chevrolet

Um comunicado da Chevrolet, destinado aos concessionários, contendo instruções para reparar falhas ocorridas durante o processo de produção do novo Tracker. A montadora denominou o procedimento como “atualização de estoque”, que abrangeu 3.662 unidades para verificação do airbag frontal do passageiro, sendo que para 1.713 desses veículos, pertencentes à versão de topo Premier, ainda houve a verificação de uma possível formação de trinca no para-brisa.

De acordo com a publicação, o primeiro problema seria a possibilidade do alojamento do airbag do passageiro não estar corretamente encaixado ao acabamento que esconde a bolsa inflável. Segundo a orientação passada pela Chevrolet, para fazer a inspeção seria necessário desmontar o porta-luvas e a lateral do painel para então inserir uma câmera e verificar se o travamento estava correto.

A segunda correção teria relação com uma câmera instalada no para-brisa, necessária para as funções semi-autônomas como frenagem de emergência, alerta de colisão e o monitor de distância em relação ao veículo à frente. A possibilidade dos pinos que seguram essa câmera terem sido fixados de forma errada durante a montagem poderia provocar a posterior formação uma trinca no para-brisa. Para a inspeção, também seria necessário desmontar o acabamento na região do retrovisor interno. Se fosse constatado que o pino foi reposicionado durante a instalação a troca do para-brisa deveria ser efetuada. Ainda seria necessário realizar uma reprogramação da câmera.

“A GM informa que o comunicado enviado à rede de concessionárias foi para verificação e atualização do seu estoque. Esta orientação foi dada antes do lançamento e início das vendas do produto”, posicionou-se o fabricante. De fato, os boletins publicados por Quatro Rodas estavam datados em 13 e 17 de março, portanto, antes do lancamento do modelo, o que indica que nenhum veículo foi entregue sem a inspeção.

Falhas de produção são comuns, e, ainda mais quando envolvem itens de segurança como os airbags, sua correção é necessária e sempre benvinda. Mesmo que os veículos tenham sido entregues sem esses defeitos, a ampla divulgação desse tipo de campanha pode ser útil para que os proprietários fiquem atentos quanto a efetividade do procedimento executado pelo concessionário. Por exemplo, se o dono de um novo Tracker notar um ruído vindo da região do airbag do passageiro, pode ser que o encaixe esteja incorreto, dando a chance de levar o veículo para reparo, garantindo o correto funcionamento da bolsa inflável. O mesmo vale para o consumidor que notar uma trinca no para-brisa do modelo mais à frente fazer valer seu direito.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui