Vendas de carros
Fernando Pires/Quatro Rodas

Fábricas paralisadas e circulação de veículos reduzida pela metade não foram os únicos efeitos da Covid-19 no Brasil: segundo apuração exclusiva de QUATRO RODAS, a média diária de emplacamentos de carros zero-quilômetro no país despencou mais de 90% entre os dias 21 e 27 de março, na comparação com o restante do mês.

Para chegarmos a esses números, tivemos acesso em primeira mão ao relatório parcial de emplacamentos dos 20 modelos mais vendidos do país no período, segundo a Fenabrave (associação nacional dos concessionários).

Se do dia 1º a 20 de março foram registrados 88.482 emplacamentos – considerando sempre o grupo de 20 carros mais vendidos -, o que perfaz uma média diária de 4.424 carros, na semana seguinte o total baixou para apenas 2.993 unidades, o que representa uma média de ínfimos 427 carros emplacadas ao dia. O tombo é de 90,3%.

Para efeito de comparação, o líder Chevrolet Onix emplacou 578 unidades diariamente, em média, nas primeiras 20 datas de março. Após a intensificação do isolamento social no combate ao novo coronavírus, sua média caiu para apenas 40 unidades ao dia na última semana. Ou seja, uma queda de 93%.

Se a situação está ruim para o hatch da GM, vai ainda pior para o Hyundai Creta. Isso porque o SUV despencou de 168 para apenas oito emplacamentos diários nos períodos comparados. Percentualmente, a queda de 94,4% é a maior entre os 20 modelos comparados, convertendo-se em meros 60 emplacamentos dos dias 21 a 27.

Por outro lado, o fabricante sul-coreano também liderou entre os modelos com menor queda percentual durante o período. Isso porque o HB20, que emplacou cerca de 309 unidades diárias dos dias 1º a 20, baixou sua média para 96 unidades diárias na quarentena. Isso representa uma redução “modesta” de 69%.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui